quarta-feira, 28 de abril de 2010

A Pucca e a Karina

Karina é um trem esquisito.
Ela espeta insetos, envelopa (essa eu só descobri ontem!) libélulas.
É louca por libélulas.
Fala muito de libélulas.
Faz aula de campo no meio do mato com os meninos dela.
Gosta de fazer aula de campo no meio do mato.
É branca-branquela.
Morre de me explicar que eu, sendo branca-branquela, tenho que pensar nos borrachudos da casa da tia dela de Santa Teresa.
Mas, Karina faz aula de campo.
E no meio do mato, deve até colecionar borrachudos também!
Não dirige.
Nunca ligou um carro antes apesar de ser fã do fusquinha do pai.
Sempre conta que um professor dela, ou um colega, sei lá, diz que "pra morrer de repente, ela levaria uma semana" de tão lenta que é.
É pós-doutora em Biologia.
Tenta, sofridamente, explicar-me a importância dos bichinhos dela (e de jogar nitroglicerina neles pra extrair o DNA) para a agricultura, ou piscicultura, ou pecuária, ou cultivo de sei-lá-o-quê!
Ela mata, espeta e estuda insetos.
Eu salvo insetos!!!
Karina vive contando as histórias da família dela e das viagens para coleta de amostras.
E eu conto sobre as minhas peripécias de adolescência, sobre minha família buscapé, sobre meu trabalho. 
Atualizo as informações sobre meu relacionamento com meu ser-humano.
E Karina conta as provações dela com o ex-ser-humano dela.
E cada dia temos histórias diferentes sobre os mesmos assuntos.
A gente vai conversando daqui até o trabalho.
E, se deixar, sobra assunto pro jantar quando chegamos com tempo para jantarmos juntas.

Ontem, Brunex foi ao trabalho comigo.
E Karina - que já tinha terminado o período de viagens das terças - foi junto pajear duas das meninas dela que ficaram de prova final.
Que alegria!
Fomos conversando daqui até lá.
Luzi e Bruno discutiam filmes de desenhos animados e lá veio Karina com mais uma: A-do-ra animação!
Qual foi a primeira frase dela quando eu comentei que "abri o bué" quando Sigourney Weaver morreu em Avatar?
--- Ah, se eu estivesse lá também ia querer coletar algumas amostras.
--- Sossega, Karina! Menos!
--- Kkkkkkkk! Mas é.

Bem, agora, além de ter que arrumar tempo pra ir a Santa Teresa com Karina, vou ter que me virar em 15 pra arrumar tempo de ir à casa dela para "coletar" filmes e seriados do HD da prima dela!!!

Gente!!! Quase esqueço da Pucca!!!
Karina é fã da Pucca.
Tem bolsa da Pucca, bolsona da Pucca, bolsinha da Pucca, carteira da Pucca, porta-moeda da Pucca...
Vício alimentado pela irmã dela.
Parece que é tradição regional "puquear" a Karina.
Bem, ontem eu segui a tradição.
Quando paramos no Casa-Brasil, o ovo que estava lá na semana anterior e que pensei comprar para ela, ainda estava.
No caixa, não pensei duas vezes.
Paguei o lanche. Paguei as moedas de chocolate de Bruno e da Luzi. Catei o ovo da Pucca.
Karina estava junto à Cláudia, lá atrás na fila.
Saí correndo até lá, joguei o ovo na mão dela:
--- Procê!
Passado o susto, ela abriu um sorrisão, daqueles de criança quando ganha brinquedo novo.
E, quando entrou na van, falou que tinha pensado em comprar aquele ovo mas pensou em não alimentar o vício.
Ficou um tempão ajustando o ovo dentro da mochila, no maior cuidado. 
Que alegria vê-la feliz!
E, dessa vez, felizmente, inseto algum foi sacrificado...
rs....

Nenhum comentário: